Entrada

CDE: Rapid 17 de julho

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

alt

COMUNICADO DE IMPRENSA

 

Lisboa, 17 de julho de 2017

 

  • Debate sobre o futuro da Europa: 1 750 eventos, até à data, com potencial para chegar a mais de 30 milhões de europeus

Quatro meses após a apresentação do Livro Branco sobre o futuro da Europa pela Comissão Europeia, o debate sobre o futuro da Europa tem vindo a acelerar, com mais de 30 milhões de cidadãos potencialmente envolvidos até à data. O Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, declarou: «É encorajante ver tantas pessoas participarem no debate sobre o futuro da União Europeia, iniciado pela Comissão a 1 de março de 2017 com o nosso Livro Branco. Temos verificado uma grande diversidade de opiniões e congratulamo?nos com esta inquebrantável dinâmica positiva que nos faz avançar. Em setembro delinearei a minha visão, mas na realidade o futuro da Europa será concebido pelos cidadãos, dado serem eles que estão a escrever os livros de história de amanhã. Continuem a participar e a fazer-vos ouvir!» A Comissão anteviu cinco cenários quanto à forma que a UE poderá vir a assumir na próxima década. Desde então tem vindo a ser travado um amplo debate, apoiado pelas instituições políticas e pela sociedade civil em geral. Até à data, mais de 270 000 cidadãos participaram em mais de 1 750 eventos organizados ou apoiados pela Comissão. Muitos outros cidadãos participaram através da Internet (ver dados aqui). Continuar-se-á a organizar eventos e debates durante os próximos meses. Os cidadãos poderão igualmente contribuir de forma direta através do sítio Web https://ec.europa.eu/commission/give-your-comments_pt.

(Desenvolvimento em IP-17-2029)

 

  • Emprego e situação social na Europa: análise de 2017 confirma tendências positivas, mas destaca o elevado preço a pagar pelos jovens

A Comissão publicou hoje a edição de 2017 da sua Análise Anual do Emprego e da Situação Social na Europa. O documento confirma as tendências positivas no mercado de trabalho e na esfera social, bem como um crescimento económico continuado. Com mais de 234 milhões de pessoas empregadas, o emprego na UE nunca registou valores tão elevados, ao mesmo tempo que o desemprego regista o seu nível mais baixo desde dezembro de 2008. Desde 2013, foram criados 10 milhões de postos de trabalho na UE. Contudo, para além do progresso económico e social em termos globais, há elementos que evidenciam um preço particularmente elevado a pagar pelas gerações mais jovens, as quais tendem a conhecer maiores dificuldades para encontrar trabalho e estão mais expostas a formas atípicas de emprego, incluindo os contratos temporários, que são suscetíveis de baixar a sua proteção social. Também as pensões a que poderão aspirar em relação às remunerações tendem a ser mais baixas. Tendo em conta esta realidade, o documento de análise de 2017 coloca a tónica na equidade intergeracional: é necessário garantir que as atuais tendências económicas favoráveis se repercutem de forma positiva em todas as gerações.

(Desenvolvimento em IP-17-1988 e em MEMO-17-1987)

 

  • UE e Brasil unem esforços no âmbito da OMC para criar condições equitativas a nível mundial no que toca aos subsídios à agricultura

A UE e o Brasil — dois dos maiores produtores mundiais de produtos agrícolas — apresentaram hoje à Organização Mundial do Comércio (OMC) uma proposta conjunta sobre o apoio à produção agrícola e medidas de segurança alimentar. O objetivo é limitar as distorções do mercado e assegurar condições de concorrência equitativas ao nível mundial para os agricultores, tendo simultaneamente em conta as necessidades específicas dos países em desenvolvimento. O apoio interno à agricultura é uma questão importante no âmbito das negociações que antecedem a 11.ª Conferência Ministerial da OMC (CM11), que se realiza em Buenos Aires, em dezembro próximo.

(Mais informações neste sítio Web)

 

  • Inflação anual desce para 1,3% na área do euro, para 1,4% na UE e para 1,0% em Portugal

A inflação anual na área do euro foi, em junho deste ano, de 1,3 %, uma ligeira descida em relação ao valor de 1,4 % registado em maio. Em junho de 2016 esta taxa era de 0,1 %. A inflação anual na União Europeia foi, em junho de 2017, de 1,4 %, abaixo dos 1,6 % registados no mês anterior. No mesmo mês do ano passado, esta taxa era também de 0,1 %. Em Portugal, a taxa de inflação foi, no mês passado, de 1,0 %, em diminuição relativamente ao valor de 1,7 % registado em maio deste ano. Em junho de 2016, Portugal apresentava uma inflação anual de 0,7 %. Estes dados são do Eurostat, o Serviço de Estatística da União Europeia.

(Desenvolvimento em STAT-17-2061)

 

Para mais informações sobre assuntos europeus:

http://ec.europa.eu/portugal